ESPERANTO: IDIOMA NEUTRO INTERNACIONAL
A LÍNGUA DA FRATERNIDADE.

“Por ĉiu popolo sia propra lingvo, por ĉiuj popoloj Esperanto!”
“Para cada povo sua própria língua, para todos os povos Esperanto!”

Esperanto Iniciante

  • Sexta-feira: 18h às 19h
  • Não há pré-requisitos.

 

Esperanto avançado

  • Falar com o professor Elmir dos Santos Lima.

 

Veja Também:

Esperanto

Ainda no final do século XIX, na pequena cidade de Bialystok, então Império Russo e atual Polônia, vivia o jovem Lázaro Luís Zamenhof. Ali moravam muitos povos distíntos: russos, poloneses, alemães e judeus. Cada um utilizava sua própria língua o que dificultava ainda mais não apenas a comunicação, mas também a harmonia entre eles, que viviam em constante conflito.

Foi crescendo nesse cenário que Zamenhof começou a criar uma língua planejada e neutra ainda na adolescencia. Ele acreditava que uma língua internacional, fomentaria a paz devido a sua neutralidade. Assim nasceu o Esperanto que desde sua criação sempre foi mais que apenas uma forma de comunicação, sendo uma forma de união, fraternidade e solidariedade da humanidade.

O Esperanto é então uma língua planejada para alcançar um entendimento real entre os povos, sem se prevalecer de nenhuma cultura. Utilizando esta língua, todas as diversas culturas estão no mesmo patamar, não há soberania. Sua existência também não anula a existência das línguas de cada nação, pelo contrário, pois assim o homem pode aprender apenas o Esperanto para as comunicações internacionais e concentrar-se em aprofundar seus conhecimentos em sua língua materna.

 

 

GEYP e o Esperanto

A estrela verde da bandeira da “língua que veio dos céus” nos guia nesse caminho de esperança, positividade e paz.

Inspirados em Dona Yvonne do Amaral Pereira, mentora da casa e esperantista durante muitos anos de sua vida, o GEYP oferece um curso gratuito de Esperanto a todas as pessoas que se interessarem. Se você se identificou com esses valores, “seja a mudança que deseja no mundo” – Gandhi.

 

CompartilheShare on Facebook14Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

This page as PDF